Ouça aqui e compartilhe

Em tempos de pandemia em que diversas partes do mundo que sofre diante da covid-19, aprendemos nessa quaresma a conviver com outra palavra que nos remete a 40 dias, a quarentena. Graças a quarentena muitos de nós não estão podendo sair de casa e viver a quaresma tornou-se um desafio que nós remeteu a reflexão de tudo que bem fazemos em nossas paróquias, do que mau fazemos e principalmente tudo que não fazemos.

Sem entra no mérito da natureza do vírus, de onde ele surgiu ou quem tem culpa do quê, nós do sem nome acreditamos que não existe mau a nos afligir nessa vida, que não possa por Deus ser utilizado para fazer um bem maior a nossa alma. Muito felizes ficamos em observar o crescimento da igreja nesse período, crescimento em sua presença on-line com cursos, pregações, orientações e meditações para fazer desse período um período de aproximação a Deus, mesmo que distante das nossas paróquias e sacramentos. O crescimento das pastorais da comunicação nas paróquias espalhadas pelo mundo que atenderam o chamado da mãe Igreja e não veem poupando esforços para manter os fiéis unidos em torno do desejo de permanecer em busca da íntima oração com Deus, da prática piedosa da caridade neste momento que por si mesmo já é uma penitência para muitos de nós.

Neste período de quarentena, muitos temem que a mãe Igreja esmoreça por está reclusa e sem poder reunir os fiéis como de costume, mas como brinca o padre Paulo Ricardo

“A Bíblia não caiu do céu com zíper”

A igreja de Cristo prepara-se para sair da quaresma, mantendo-se em quarentena, mas não sai para uma semana santa apática e sem vida. A igreja encerrará o tempo propício para adentra na semana santa, mais forte, vivendo uma unidade única, não de um grupo ou de uma pastoral, não apenas uma paróquia ou comunidade de fé, como as vezes nós permitimos isolar no nosso cotidiano, a igreja une-se por completo em todas as partes do mundo. Um corpo fortalecido para cumprir o que a cabeça pensou para ela desde o início

“Ide, fazei discípulos de todas as nações” Mt 28, 19a

Em todas as partes do mundo seja de maneira física com os padres que reservados celebram a Santa Missa, ou on-line onde todo fiel acompanham das palavras do Santo Padre o Papa Francisco até o mais anônimo dos fiéis que envia uma mensagens de texto com uma palavra de consolo para alguém. Essa é a igreja que não se acovarda, que não se permite para porque como corpo de Cristo confia em sua promessa

“As portas do inferno não prevalecerão contra ela” Mt 16, 18b

Sabendo que tal qual como a sagrada liturgia nos conduz a passar pela paixão e morte de nosso senhor Jesus Cristo, para com Ele festejarmos a festa das festas no domingo da ressurreição. Assim também nesse momento, rezamos pelos enfermos, choramos pelos mortos e a Deus Pai suplicamos sua infinita misericórdia sobre eles. Confiamos que enquanto povo de Deus, junto a Tua Igreja, festejaremos a vitória da vida sobre a morte.

Por aqui no semnome.org durante a semana santa estaremos refletindo junto as meditações de Santo Afonso Maria de Ligório os dias desta semana que fecha o tempo oportuno da igreja, mas dela não fecha suas portas, pelo contrário, as abre ainda mais, para acolhermos de Cristo a grandiosidade de Tua misericórdia por nós.

Desde já, você está convidado a acompanhar conosco. Porquê juntos podemos perceber Deus nos pequenos detalhes.

Graça, Paz e Misericórdia