Ouça aqui e compartilhe

Como ser santo e ainda permanecer com a sua sanidade? Podemos mediantes as tentações do mundo viver em santidade e ter uma vida saudável e em equilíbrio biopsicossocial?

Mas então, o que é ser santo para você!? Seria seguir todos rituais e costumes que a igreja prega como o caminho para chegar à santidade? Seria ler a bíblia diariamente, buscar compreender e praticar aquilo que Deus diz ao seu coração?

Sabemos que podemos fazer tudo isso e mesmo assim não conseguir chegar à santidade, porque muitas são as tentações do mundo e claramente somos seres pecadores. A santidade tem muitas definições, porém, com um único sentido, dedicação a Deus e afastamento das impurezas e tentações que levam o sujeito a pecar. Viver a santidade pode ser entendido como ter uma vida pura, viver separado para Deus, dedicar sua vida a Deus. Aprendemos que para aproximar-se de Deus precisamos nos afastar do pecado, mas sabemos que além de sermos sujeitos pecadores, é comum hoje em dia vivermos com o sentimento dual de querer conciliar o estar com Deus e ainda assim viver os pecados do mundo.

Acredito que isso deva causar angústia, inquietude e dúvidas a respeito de como lidar com essa situação e ainda ter uma vida mental saudável conciliando com a caminhada religiosa.

A saúde mental vai muito mais além do que apenas a saúde psíquica de nós seres humanos. Ela está relacionada a um conjunto de fatores, dos quais abarcam também o físico, social e o espiritual. Então é claro que devemos rebater as críticas e o estigma sobre os distúrbios mentais e a religião, pois muito se escuta por aí, de que se alguém tem algum transtorno mental é falta de Deus! Vá para Igreja! Procure rezar, entre outras falácias que causam sofrimento e buscam isolar a vida religiosa da vida mental dos sujeitos.

A verdade é que existem abordagens psicoterápicas comprovadas que salientam a necessidade da visão holística da vida do sujeito no tratamento ou no cuidado da saúde mental, o que inclui também as questões religiosas que o ser humano vivência. 

“Amado, desejo que te vá bem em todas as coisas, e que tenhas saúde, assim como bem vai a tua alma”.

(3 Jo 1,2)

Se acreditamos e procuramos ser o templo vivo de Deus, partilhando sua palavra e praticando seus ensinamentos, temos que compreender que não há necessidade de separar a vida religiosa e mental do sujeito. Fazer isso só causa angústia e sofrimento, pois quando você encontrasse incompreendido e culpado por causa de um pecado cometido, sozinho você se martirizar e esquece que viver de maneira santa não significa que você não irá cometer mais pecados, mas que você deve reconhecê-los e sim buscar melhorar, como nos ensina São João Paulo II.

“Santo não é aquele que não cai, mas aquele que mesmo caindo não desiste de levantar”.

(São João Paulo II)

É entender que você pode e deve buscar o equilíbrio das coisas da vida juntamente com a sua saúde mental. Deus nos ensinar dizendo que devemos ser humildes e bem assim devemos ter humildade para buscar a saúde psíquica. Fazer boas escolhas é muito importante, compreender o que não te faz bem. É claro que não é um caminho fácil a se trilhar, por isso, seja honesto consigo, reconheça quais são as suas insanidades e compreenda que a santidade é um processo.

Cuidar da sua saúde mental também é dedicar seu tempo a Deus, viver próximo a Ele e buscar a Santidade.

Percebam Deus nos pequenos detalhes

Graça, Paz e Misericórdia.