Movendo-se pelo mundo como católico
Sensação inesperada
Sensação inesperada

Sensação inesperada

Ouça aqui e compartilhe

Que sensação inesperada 

Senti diante da multidão 

Havia muita gente em volta

Mas eu senti sua respiração 

Ofegante e sofrida 

Havia muita tensão 

O peso de nossas vidas 

Estava em suas mãos 

Quando eu vi o rastro 

Foi difícil de aceitar 

Quem para tantos foi luz 

Sangrava sem parar 

De um lado para o outro 

O arrastavam sem pensar 

Agredido e maltratado 

Humilhavam-No sem pestanejar 

Seguir te olhando de longe 

Não consegui me aproximar

Até tentei algumas vezes

Mas tive medo de me arriscar 

Eram muitos os gritos 

O ódio estava no ar 

Mesmo já sabendo disso

Não é fácil de aceitar 

É muito mais fácil 

Só ouvir e imaginar 

Mas ao ver tudo aquilo

Senti que ia desmaiar 

De todas as coisas tristes 

Que eu pude acompanhar 

Meus olhos ainda doem

Só por tentar lembrar 

A dor de todos os tapas 

Bofetões e cusparadas 

Açoites e chibatas 

Nada disso me fez chorar 

Já lá em cima do monte 

Na cruz estavam a O colocar

A carne sagrada rasgada por pregos 

E mais sangue a derramar 

Uma imagem perturbadora 

Que eu evitava encarrar 

Mas ao desviar meu rosto 

Contemplei-a a chorar 

Preso entre duas faces 

Que não queria visualizar 

Vê-Lo no alto da cruz

E sua mãe embaixo a chorar 

Foi quando lhe deram vinagre 

Que senti meu corpo desmontar

Lembrei daquilo que disse 

E não pude me controlar 

Se bebia do fruto da videira 

Então estava a consumar 

Toda a promessa feita 

De pela humanidade se entregar 

Senti na boca um gosto 

Que não me era familiar 

Se era sangue, vinagre ou vinho

Eu já não sabia diferenciar 

Disseste “está consumado”

E se entregou lá da cruz 

Minha vista ficou escura 

Morreste por nós Jesus 

Lentamente fui voltando 

A visão recuperando 

Ainda estava pensando 

Onde é que fui parar?

Continuava ali mesmo  

Parado no mesmo lugar 

Num banco vazio da Igreja 

Onde comecei a chorar

Foi o fim da Santa Missa 

Uma celebração que estava cheia 

E não vi o tempo passar 

Nem onde o povo foi parar 

(Jo 18,1–19,42)

Percebam Deus nos pequenos detalhes.

Graça, Paz e Misericórdia.

Deixe uma resposta