Ouça aqui e compartilhe

Certa vez minha irmã me pediu para acompanhá-la até o médico, pois ela iria levar seus dois filhos, a mais velha com quatro anos e a mais novo que ainda não tinha um ano de vida. No centro médico ela levou a mais velha ao consultório do dentista enquanto eu levei o mais novo a sala de vacinação. 

O pequeno em meus braços não sabia o que aconteceria com ele, as enfermeiras na sala já esperavam que ele chorasse quando fosse tomar a injeção, mas antes eu saí com ele da sala, caminhei pelo pátio e fui até o jardim, ele ficou tranquilo e relaxado com o canto de alguns pássaros que estavam por ali e quando chegou a vez dele ele não se mexeu, não reclamou e mesmo com a picada da agulha ele não chorou. 

A enfermeira sorriu e disse que ele era muito tranquilo, quando eu saí fui ao encontro da minha irmã que ficou orgulhosa do filho quando lhe contei que ele não havia sequer reclamado, eu tenho uma foto com ele desse dia, que vocês vão ficar só na curiosidade, pois não vou publicar. 

Essa me parece a ordem certa das coisas, temos vontade de chegar o mais rápido possível no resultado, mas esquecemos de preparar o caminho, de fortalecer as bases, queremos começar a nossa linda casa pelo telhado, esquecemos que as pesadas pedras da fundação precisam vir antes. 

Quando chegamos no mês de dezembro, as vezes até antes, vemos as casas sendo enfeitadas, muitas luzes, decorações, amigos secretos sendo marcados, festinhas de fim de ano surgindo de todos os lados. Passamos o mês fazendo piadas de pavê, panetone, peru, uva passa e por aí vai, mas quando faltam poucos dias para o natal, quase sempre na véspera, começamos a dizer que o verdadeiro sentido do natal é Jesus Cristo, que as pessoas estão deixando esquecido o nascimento de Cristo e que as festas estão cheias e as missas estão vazias. 

E é nesse clima que chega o dia, Jesus chora na manjedoura como uma criança inquieta, porque todos a sua volta reclamam, fazem barulho, bebem sem controle, desperdiçam comida, estão todos infelizes porque não ganharam o que queriam e da festa só restou as dívidas, mas onde fica o verdadeiro sentido do natal?

A boa verdade é que fizemos tudo na ordem errada, pensamos em natal e começamos a arrumar e enfeitar a casa, mas não limpamos a nossa casa espiritual. Pensamos em natal e começamos a pensar nos presentes, mas não nos permitimos saber o que o aniversariante deseja receber de nós. Pensamos em natal e começamos a organizar a festa, mas não O convidamos para organizar a nossa vida. 

Assim como eu já sabia que meu pequeno sobrinho tomaria a vacina e o preparei para aquele momento e só depois que tudo correu bem tirei a foto. Nós já sabemos que o natal do Senhor vem e tudo bem arrumar e enfeitar a casa, que bom convidar a família e os amigos para estarem juntos, maravilha será se podermos trocar presentes e ceiarmos juntos, mas para que tudo isso faça sentido, precisamos, desde o início, agirmos com Ele, para Ele e Nele, chamamos isso de advento. 

É com um advento bem vivido que o Menino Deus repousara tranquilo nos braços de sua mãe a Virgem Santíssima, sob o olhar atento de São José seu castíssimo esposo e com essa maravilhosa experiência em seu coração aí sim será a hora da foto, pois tão bela quando a chegada do Menino Deus deve ser a nossa feliz esperar por Ele. 

Percebam Deus nos pequenos detalhes. 

Graça, Paz e Misericórdia. 

Foto: coracaofiel.com.br