Ouça aqui e compartilhe

O que você faria se soubesse que Jesus nasceria na sua família? Não falo de maneira figurada ou espiritual, falo de nascer mesmo, o verbo encarnado pode nascer e ser parente consanguíneo seu. O que você faria? 

Durante essa semana eu passei por muitos momentos que me fizeram repensar em muitos pontos as minhas ações, não exatamente sobre o que a minha consciência acusou que eu estava fazendo de errado, mas o que ela acusava ser o certo. 

Então uma pergunta sempre vinha a minha cabeça, 

“Porque sinto que a maior parte das pessoas não são legais comigo?”

Esse questionamento constante em minha mente e em minhas orações fez brotar uma afirmação, 

“Eu me esforço para ser legal com as pessoas, mas elas nem tentam serem legais comigo”. 

Até esse momento eu nunca pensei em agir de maneira legal esperando que outras pessoas fizessem o mesmo por mim. Mas a partir daquele momento, começou a parecer algo simples e correto. 

Mas uma certeza que consideramos concreta e plausível, quando desagrada a Deus é incapaz de se manter de pé no coração de alguém que se submete a Ele. No mesmo dia em que aquela certeza veio aos pensamentos cotidianos, ela surgiu também durante a oração, mas lá Deus a despedaçou com outra pergunta. 

“O que você faria se soubesse que Eu nasceria em sua família?” 

É incrível o simples fato de saber que Jesus nascera, saber que poderia nascer em nossa família, que poderia ser um primo, tal qual foi de João Batista, ou ser tio Dele, de repente avô, que loucura.

Mas se você soubesse disso e estivesse em idade de constituir família, de ter filhos? Eita! Ele poderia ser seu filho! Existindo essa possibilidade o que você faria? 

Talvez alguns pensem em ter muitos filhos para aumentar as chances de ser no mínimo um parente próximo, mas a essa altura você já estaria tomado pela vaidade, a ideia de ser parente direito de Jesus já dominou a sua cabeça e aquilo que era graça já se tornou desgraça. 

José, como homem temente a Deus e cumpridor dos preceitos, sabia que o Messias viria da sua linhagem, um descendente direto do rei Davi, mas se você for rapidinho lá no evangelho e conferir a genealogia de Jesus vai ver que a linhagem que lá está é a de José (Lc 3, 31), mas ele escolheu viver uma vida de castidade com Maria sua esposa e como você já sabe, foi ali naquela família santa que estava se formando que o Verbo se fez carne e habitou entre nós. 

Ao reconhecer-se indigno de fazer parte do projeto de salvação, José escolhe o ato humilde de afastar-se (Mt 1,18), apenas após o anjo falar com ele em sonho é que ele toma para si a missão que lhe é confiada, pois a partir dali, Deus o incluía diretamente no projeto de Salvação. 

É evidente que José teria motivos para ser o mais vaidoso dos homens, mas se mostrou o mais humilde deles. Enquanto a mim, por que a maioria das pessoas não são legais comigo? Não faço ideia, talvez eu não esteja sendo tão legal com elas assim como eu penso que estou sendo. 

Mas uma coisa é certa, vigiar e orar sempre para não cair em tentação é necessário, pois ser legal com os outros só é uma virtude quando acompanhada da humildade e comparar as outras pessoas consigo mesmo e acreditar que você é um modelo para os outros é um abismo de vaidade a ser evitado. 

Mas o quê eu faria? Realmente não sei, mas é provável que estivesse no time de São José, passava longe dessa história porque eu não fui citado, mas se me citassem perceberia Deus na menor das coisas.

Graças, Paz e Misericórdia.