Movendo-se pelo mundo como católico

Exibindo: 1 - 3 de 3 RESULTADOS
Blog

Quando perceber conte aos outros

As abelhas são fantásticas, polinizam as flores garantindo que não somente a primavera fique mais bonita, mas que a flora se mantenha em equilíbrio. Elas produzem mel, própolis e geleia real que possuem uma lista generosa de benefícios não só para elas como também para nós. As abelhas também produzem veneno que podem ser usados para diversas finalidades como combate a determinadas doenças e controle de pragas no cultivo de alimentos.

Conhecemos atualmente mais de 25.000 espécies desse animal fantástico divididos em sete famílias biológicas reconhecidas. Elas são encontradas em todos os continentes, exceto a Antártida, em todos os habitats do planeta onde existam plantas de flores. Essa que fotografei estava na laranjeira do terraço, sei que alguns de vocês podem não achar que ela seja bonita de ver, mas se vocês já tomaram um suco de laranja alguma vez na vida, deveriam agradecer por uma delas em algum momento ter contribuído para isso e a Deus por tê-las criado.

Venho acompanhando nas redes sociais o demasiado desespero regado a certa dose de (desculpem) hipocrisia, vinda de nós católicos, são tantas lamúrias por não poder está indo à missa, por não poder se confessar, por não poder comungar. Com todo respeito aos sagrados sacramentos, sinal visível do amor que Jesus tem por nós e por sua igreja, precisamos relembra alguns fatos importantes.

Fato Um: Aos caçadores de confissão, a confissão diária é uma dadiva da igreja dos tempos atuais, que mesmo havendo um padre em cada paróquia, nem sempre é possível, a Santa Mãe Igreja sabe bem disso basta olharmos para o que ela manda, confessar-se pelo menos uma vez por ano, isso quer dizer que a igreja espera que você se confesse e busque fazer aquilo que Nosso Senhor Jesus ensinou, “vá e não peques mais” (Jo 8, 11b), a marca do cristão precisa ser no esforço de não pecar, busquemos afastarmos dos pecados mortais.

Fato Dois: Aos caçadores de missa, devo dizer que o mandamento da igreja fala sobre participar da missa inteira aos domingos e festas, o que evidente não estamos conseguindo fazer, mas isso não é por nosso desleixo, é por uma causa maior que está sendo orientada pela própria Igreja Católica. Mas tem algo mais nesse mandamento, abster-se de ocupações de trabalho, e nesse ponto permitam-me alargar o conceito de trabalho, pois minha vó (que Deus a tenha em um bom lugar) me disse uma vez que

“Tem trabalho que não deveríamos fazer mesmo se nos pagassem, esses são os que mais fazemos de graça.”

Relembro minha vó para falar a vocês profissionais da reclamação, que tal abster-se de sua ocupação laboral de reclamar nas redes sociais de tudo e de todos, você tem o direito de não está satisfeito com o governo, com a quarentena, com a falta da missa, com a sua família, com seus vizinhos, com qualquer outra pessoa ou coisa, mas lembre-se que o domingo ainda precisa ser reservado para Deus, então tente deixar esse e tantos outros maus hábitos de lado pelo menos nesse dia e quem saber ir meditar a palavra, rezar o terço, abraçar sua família, demonstrar caridade para com seu vizinho, as possibilidades são infinitas se você deixar de reclamar, evitemos trabalhar a favor da nossa própria condenação (Tg 5, 9).

Fato Três: Mas é claro que se não temos missa, é bem provável que não tenhamos comunhão e aos caçadores da comunhão preciso concordar e dizer que a oração que Jesus nos ensinou não nos deixa duvidas, “o pão nosso de cada dia nos dai hoje” fazemos muito bem em buscar a comunhão diária, como nos ensina Santa Teresinha do Menino Jesus que a comunhão frequente é uma poderosa arma contra a heresias. Mas é importante perceber mais uma vez, que a comunhão diária é uma dádiva da igreja de nosso tempo, mas em tempos não muito distantes de nós os cristãos não tinham essa dádiva e mesmo assim não esmoreceram na fé, se olharmos com humildade para a historia da igreja, talvez perceberemos que comparados a eles, muitas vezes não temos as praticas mínimas para nos considerarmos cristãos.

Como sabemos que nos manda a Santa Mãe Igreja, receber o sacramento da Eucaristia ao menos pela Páscoa da ressurreição, mas se você faz parte do grupo que está em quarentena desde antes da Páscoa, lembre-se que o Papa Francisco já concedeu a indulgência plenária a respeito disso, então respira fundo e reze pelo Papa e pela Igreja e se tranquilize pois a saudade do Corpo Místico e do Corpo Vivo de Cristo não é um sentimento solitário, é o sentimento de todo o católico que Nele coloca sua esperança, desde Maria Madalena que corre aflita para dizer que não encontrou o corpo de Jesus (Jo 20, 1) até cada um de nós que em nossas orações diárias ficamos aflitos por continuarmos sem poder ir ao encontro Dele. Mas como nos exorta João em sua primeira carta

“Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor” (I Jo 4, 8).

A nossa felicidade é que O conhecemos pelo amor, assim como São Francisco de Assis reconheceu a grandeza do amor de Deus pregando para as aves dizendo

“Minhas irmãs aves, deveis estar muito agradecidas a Deus, vosso Criador, e sempre em toda parte o deveis louvar, porque vos deu liberdade de voar a todos os lugares, vos deu urna veste duplicada e triplicada; também porque reservou vossa semente na Arca de Noé, a fim de que vossa espécie não faltasse ao mundo; ainda mais lhe deveis estar gratas pelo elemento do ar que vos concedeu.

Além disto não plantais e não ceifais; e Deus vos alimenta e vos dá os rios e as fontes para beberdes, e vos dá os montes e os vales para vosso refúgio, e as altas arvores para fazerdes vossos ninhos e, porque não sabeis fiar nem coser.

Deus vos veste a vós e aos vossos filhinhos; muito vos ama o vosso Criador, pois vos faz tantos benefícios, e, portanto, guardai-vos, irmãs minhas, do pecado de ingratidão e empregai sempre os meios de louvar a Deus”.

Assim também nós devemos olhar para toda a criação e perceber que ali não existe acidentes, Deus fez-nos para amar, independentemente das circunstâncias, que hoje nos parecem mais difíceis é claro, mas lembre-se que a necessidade pode ter nos tirado fisicamente de perto do corpo de Cristo, mas jamais poderá nos afastar das infinitas provas de seu amor por nós, dentro desse infinito amor compreendemos as palavras de Santo Inácio de Loyola

“A humildade consiste em alegrar-nos com tudo o que nos leva a reconhecer o nosso nada”.

Sejamos humildes em nosso nada e a felicidade que vem do alto brotara em nós a partir do mais pequeninos, as aves para uns, as abelhas para outros, quem sabe para você podem ser as formigas que apareceram na cozinha, ou o vento que entrou pela janela, independente de em qual detalhes você venha a perceber Deus, só te faço um pedido, quando você perceber, quando seu coração arder diante da clareza que Jesus está ali, faça igual aos discípulos de Emaús, na mesma hora levante e conte aos outros (Lc 13, 33).

Percebam Deus nos pequenos detalhes.

Graça, Paz e Misericórdia.