Movendo-se pelo mundo como católico
VIDA NO ESPÍRITO E A REDENÇÃO DO CORPO 
VIDA NO ESPÍRITO E A REDENÇÃO DO CORPO 

VIDA NO ESPÍRITO E A REDENÇÃO DO CORPO 

Ouça aqui e compartilhe

Na terminologia de São Paulo, viver a vida da graça é sinônimo de viver “segundo o Espírito”. É o contrário de “viver segundo a carne”. Caminhai, “deixando-vos sempre guiar pelo Espírito, e nunca satisfaçais os apetites da carne. Porque os desejos da carne se opõem aos do Espírito, e estes aos da carne” (Gl 5,16-17). 

Isto não significa, como tragicamente concluíram muitos cristãos, que São Paulo condena o corpo ou o considera um obstáculo inerente para viver uma vida “espiritual”. Ao contrário, como vimos, o corpo é o veículo específico da vida espiritual. Nesse contexto, “a carne” refere-se à pessoa total (corpo e alma) separada da “inspiração” de Deus, privada do Espírito de Deus que a habita. Refere-se à pessoa dominada pela luxúria e por outros vícios. Quem, no entanto, vive “conforme o Espírito” não rejeita seu corpo. Ao contrário, abre toda a sua personalidade corporal-espiritual à “inspiração” divina. 

Com grande esperança, João Paulo II proclama que, da mesma forma como a luxúria nos escraviza e desordena os nossos impulsos, o “viver segundo o Espírito” nos torna livres para doarmos aos outros. Contrariamente à luxúria, que nos cega para a verdade do plano de Deus sobre o corpo, a “vida segundo o Espírito” nos abre os olhos para o significado esponsal do corpo (cf. 01.12.1982). Assim, na medida em que nos abrimos à “vida no Espírito”, experimentamos também a “redenção de nossos corpos” (Rm 8,23). 

A “redenção do corpo” – insiste João Paulo II – não é somente uma realidade celestial. Nós aguardamos sua consumação no céu; mas ela já agora está atuando em nós. O que significa: na medida em que permitimos que a nossa luxúria seja “crucificada com Cristo” (cf. Gl 5,24), podemos ir redescobrindo progressivamente no erotismo aquele primeiro “significado esponsal do corpo” e vivê-lo. Esta “libertação da luxúria” e a liberdade que ela proporciona é, ainda segundo o Papa, a condição para todos viverem juntos a verdadeira vida (cf. 08.10.1980). 

Percebam Deus nos pequenos detalhes.

Graça, Paz e Misericórdia.

Fonte: WEST, C. Teologia do corpo para principiantes: uma introdução básica à revolução sexual por João Paulo II. Madrid: Myrian, 2008.

Deixe uma resposta