Movendo-se pelo mundo como católico

Durante a leitura da palavra de Deus você já se deparou com um daqueles personagens bíblicos que não tem praticamente nenhuma informação? Sabe aqueles que o texto não revela de onde veio, não apresenta seus nomes, logo eles desaparecem da narrativa sem dizer para onde foram. Às vezes passam tão despercebidos que nem parece que estão ali, eles não são os personagens principais daquele evento, apenas se aproximam, realizam ali o que precisam e depois vão embora.

São anjos que por muitas vezes estão ali apenas como anjo do Senhor (Mt 1, 20), o quê para nós já é muita coisa. São pessoas não identificadas que se aproximam ajudam a cumprir os designos de Deus, seja oferencendo o pouco que possui (Jo 6, 9) ou intercedendo a Jesus por outro (Lc 7, 6). Ou até mesmo animais, que surgem de maneira providencial para fazer com que o projeto de salvação seja completo (Jo 12, 14).

Nós não sabemos muito deles, mas não precisamos saber, pois mais importante do quê saber sobre eles, é saber que a graça que os motivou está viva em nós. Estes somos nós, os sem nomes, que nas pequenas ações buscamos caminhar para mais próximos dos projetos de Deus, buscando a santidade cotidiana, tentamos encontrar e apresentar Deus nos pequenos detalhes.

Assim nós somos, não por nós e nem para nós, mas em tudo buscando agir a exemplo do maior dos profetas, “é preciso que Ele cresça e eu diminua”(Jo 3, 30).