Movendo-se pelo mundo como católico
O PLANO ORIGINAL DE DEUS PARA O CORPO E O SEXO 
O PLANO ORIGINAL DE DEUS PARA O CORPO E O SEXO 

O PLANO ORIGINAL DE DEUS PARA O CORPO E O SEXO 

Ouça aqui e compartilhe

O PLANO ORIGINAL DE DEUS PARA O CORPO E O SEXO 

“O corpo é isto: um testemunho (…) do amor” João Paulo II (09.01 .1980) 

Se já tem lido algum escrito de João Paulo II, com certeza encontrou uma de suas passagens favoritas do último Concílio: “Jesus Cristo (…), pela sua revelação do mistério do Pai e do seu amor, revela o homem totalmente a si mesmo e manifesta de forma mais clara sua vocação suprema” (GS, n. 22). Esta é a antífona de João Paulo: Cristo “revela totalmente” o que significa ser homem. Assim, embora seu objetivo nesta etapa seja refletir sobre o plano original de Deus em relação aos sexos, como se encontra no Gênesis, o Papa, na realidade, começa com as palavras de Cristo. Sim, porque o Gênesis só pode ser entendido à luz de Cristo. 

NO COMEÇO NÃO ERA ASSIM 

Quando alguns fariseus questionaram Jesus a respeito do sentido do casamento, permitiram-se lembrar-lhe que Moisés havia permitido o divórcio. A resposta de Jesus apresenta uma das chaves para compreender o Evangelho: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés permitiu despedir a mulher. Mas no começo não era assim” (Mt 19, 8). Na realidade, Jesus está lhes dizendo mais ou menos o seguinte: “Você acha normais essas tensões, conflitos e preocupações na relação homem-mulher? Não, isto não é normal. Não foi esta a intenção de Deus ao instituir o casamento. Algo terrivelmente errado aconteceu”. 

Eis aqui uma comparação que gosto de usar para esclarecer este ponto. Imaginem estarmos todos rodando pela cidade em automóveis de pneus vazios. A borracha caindo aos pedaços, os aros se amassando e se deformando, e todo mundo achando isto muito normal. Afinal, todos os pneus são vistos rodando assim. De acordo com a analogia, Jesus estaria dizendo aos fariseus (e a todos nós): “No começo havia ar nos pneus”. 

Se queremos, pois, entender o sentido da união “numa só carne”, de acordo com Cristo, devemos retomar ao “começo”, antes que o pecado desfigurasse as coisas. Este é o padrão. Esta é a norma. Lendo neste nível as reflexões de João Paulo II sobre os textos da criação, nos damos conta de quanto nos distanciamos do plano de Deus. Mas não se desespere! Cristo não veio para condenar os que andam de pneus vazios, e sim para enchê-los e calibrá-lós novamente. Não podemos voltar ao estado de inocência, já o perdemos. No entanto, seguindo Cristo, podemos recuperar o plano original de Deus sobre os sexos e vivê-ló com a ajuda de Cristo (cf. CIC n. 1, 15). 

Percebam Deus nos pequenos detalhes.

Graça, Paz e Misericórdia.

Fonte: WEST, C. Teologia do corpo para principiantes: uma introdução básica à revolução sexual por João Paulo II. Madrid: Myrian, 2008.

Deixe uma resposta